26 de abril de 2017

Indicação: Livra pesquisas

Oi, gente!

Outro dia eu postei na história do Instagram que o Livra era o melhor site de pesquisas da vida. Bom, hoje vou mostrar meus argumentos pra vocês (não é publicidade, só quero explicar direitinho porque me irrito quando alguém fala que é bom mas não explica o porquê). 😛

O que é a Livra?

É um site de pesquisas de mercado da América Latina. Nele você dá a sua opinião sobre diversos assuntos e ganha pontos por isso, que podem ser trocados por prêmios (vou falar deles daqui a pouco). Ah, para participar você precisa ter no mínimo 14 anos.



Como funcionam as pesquisas?

No seu perfil você pode ativar pra receber notificações quando houver novas pesquisas. Eu fiz isso e acho bem mais fácil. Nelas você sempre responde dados básicos (idade, sexo, escolaridade, etc) e, se for qualificado para aquela pesquisa, dá continuidade a ela. Geralmente a pontuação por pesquisa fica entre 100 e 200 pontos, mas é claro que isso varia. Outra coisa interessante é que, mesmo se você não tiver o perfil para responder, eles creditam 40 pontos na sua conta pelo interesse em participar. Em cerca de 20 dias juntei 800 pontos. E é muita coisa, principalmente se compararmos com outros sites de pesquisa.

via GIPHY

No geral é isso. Sobre as pesquisas em si não vou falar porque o sigilo é parte dos termos do site – e nem faria sentido ficar estendendo o post com isso, né? :p


Quais são os prêmios? Como recebê-los?

Os prêmios são muuuito diversos. Você pode fazer doações para o Médicos Sem Fronteiras, escolher um produto ou trocar por um vale-presente (tem na Americanas, Saraiva, Cinemark,  C&A...) ou recarregar seu celular.


Particularmente, acho que os vale-compras são bem mais úteis, pois se analisarmos, as coisas ficam desproporcionais: um saco para assar batatas no micro-ondas (pra vocês verem a variedade do negócio) custa 1600 pontos (em reais varia de 10 a 15). Um vale-presente de R$ 20,00 na Saraiva custa 1500 pontos.

Minhas experiências: eu fiz minha conta ano passado, então até agora só fiz uma doação (que inclusive não tive confirmação de que foi feita, mas enfim) e troquei por um vale na Saraiva. Foi muito simples, sem enrolação nem nada: fiz o pedido e uns 4 minutos depois recebi um e-mail com o código. Foi só colocar no carrinho (na seção de vale-presentes) e pronto!


---------------------------


Espero que vocês tenham gostado da indicação e consigam muitos prêmios. hahah

Beijos! 😘😘😘

23 de abril de 2017

Por que eu resolvi cuidar do meu cabelo?

beleza cabelo cuidar do cabelo

Sim, eu sei, a resposta é bem óbvia. Cabelo também merece cuidado, pois influencia na gente. Mas pra quem me conhece há muito tempo, sabe que esse é um grande passo na minha vida. 
Eu nasci de cabelo preto e liso. Em um ano, ele clareou e enrolou. Criança tem cabelo lindinho, né, naturalmente era muito fofo. E, conforme eu crescia, mais ele enrolava. Cheguei na fase em que ele ficou muito ressecado e tinha mais frizz que cabelo, me deixando cada vez mais irritada com o coitadinho. Quando eu era adolescente, ele não tinha forma alguma, era pra ser crespo, mas era um crespo esquisito e não aqueles que dá gosto, poderoso. Aos 15, eu alisei. Ah, minha primeira progressiva... Quem vê meu cabelo hoje não acredita que ele era enrolado e eu sempre preciso mostrar uma foto dos tempos antigos, hehe. 

via GIPHY


Enfim, todo esse rodeio era pra chegar na química. Ao todo, foram umas 5 progressivas e um botox. Eu sempre fiquei de boa porque meu cabelo nunca pareceu realmente danificado. Umas pontas duplas aqui, um ressecadinho ali... e todo o sofrimento capilar que eu via nas meninas que passavam pelo mesmo que eu - sucessão de secador e chapinha - me parecia distante da minha realidade.
Eu nunca cuidei do meu cabelo. Máscara de hidratação acabava passando da validade. Nunca protegi contra o sol, contra a ação do cloro da piscina, nunca passei um protetor térmico, leave-in, mousse, nunca reconstruí, ou nutri ou hidratei... enfim, sempre deixei como era. E, apesar disso tudo, nunca percebi o problema. Meu cabelo sempre o escondeu.
Claro que eu ainda não descobri o problema maior. Mas sei que ele existe. Quando comparo meu cabelo com o de pessoas que REALMENTE cuidam, eu notei. Tem algo errado. E mesmo sendo óbvio, por eu nunca ter feito nada pelo coitado, sempre ignorei essa verdade.
Até agora.

via GIPHY

Dentre todas as coisas da minha lista de 101 coisas para fazer em 1001 dias, o desejo de cuidar mais do meu cabelo é sempre o que mais me atrai. Depois de muito ver vídeos das minhas blogueiras favoritas falando sobre cabelo, depois de decidir mudar, cá estou, pesquisando os melhores shampoos, as melhores hidratações, o que eu devo fazer, etc. Porque cuidar da gente não é futilidade. Não é só pro cabelo brilhar mais, sair melhor nas fotos, fazer inveja... é saúde. É olhar pra gente e falar: uau, tô bonita!
Ah, e antes que me perguntem, não me arrependo das progressivas. Eu amo cabelos cacheados mas sei que eu não cuidaria bem do meu, se ele continuasse sendo como era. Estaria ainda mais danificado e, eu, mais desesperada. Acho que as coisas estão como deviam estar. Sou feliz de cabelinhos lisos e minha busca interior (e exterior) é estar cada vez mais. 
Vou tentar colocar aqui, sempre, os resultados do que testar, as indicações, inspirações, enfim, deixar o blog a par do meu #ProjetoCabeloBiju hahaha. Acho legal trazer isso pra cá, mostrar a realidade, o antes e depois. Já tenho até uma listinha de produtos.


via GIPHY

Inclusive, sobre a listinha de produtos, não posso deixar de citar o blog Juro Valendo. Ele é o meu favorito no quesito beleza - reúne as melhores dicas e (bapho!) os melhores achadinhos. Sempre que posso, indico ele pra alguém e prometo um post sobre ele e as melhores postagens. Enquanto o post não sai, sugiro que cês deem uma olhada. Vale a pena.

Por hoje, é só. Não percam minhas próximas postagens sobre o meu cabelo, eu tô bem empolgada e espero mesmo que dê resultado! 

Beijo e té mais! 💕

20 de abril de 2017

Um álbum por semana #Março

álbum musica março

Oi gente, os álbuns voltaram!! Esse mês vão ser cinco, já que março é metidinho e quer ter mais que todo mundo. Ah, e desculpem o atraso, os álbuns compensam isso, deem uma chance, hehe.

Divide

É ÓBVIO que o primeiro álbum de Março tinha que ser o Divide, né? Eu tava esperando um lançamento de Ed Sheeran há muito tempo (e admito que achei que março não chegaria nunca, mas foi super rápido.) Para mim, esse álbum superou! Tanto as expectativas, quanto os anteriores (principalmente o Multiply, que eu vou ser sincera, não curti tanto assim). Ele lançou o Divide no dia 03 de março desse ano, pela Atlantic Records, com 16 músicas (no Deluxe). Sugiro que leiam essa crítica, do Omelete, que eu tentei pegar um trecho pra colocar aqui mas aí colocaria o artigo todo. hehe As músicas de lançamento do álbum foram as maravilhosas Castle On The Hill e Shape of You - seguidas por How Would You Feel (Paean) e Eraser.

Eu achei que o Ed saiu do lugar comum em que ele tinha entrado, nesse álbum. Mesmo tendo as características dele (RAP, baladas românticas, pop de tocar nas festinhas, e muito romance), ele foi além. Inovou trazendo melodias (e até línguas) diferentes, fazendo referência à Irlanda (com Galway Girl e Nancy Mulligan) e, até mesmo, à África (com Bibia Be Ye Ye). Além de, não sei porque, mas as letras parecerem bem mais... íntimas do que as anteriores. É bem difícil escolher uma favorita, então vou colocar algumas que eu não consigo para de escutar, que são Perfect, Happier, Dive, Barcelona e a Save Myself, que dói de tão linda! Ed veio cozinhando esse álbum desde dezembro de 2015, quando ele anunciou, e olha, a espera foi longa mas valeu a pena!



Leo Rising

Esse álbum não é novo, foi lançado em 09 de setembro do ano passado, pelo duo Karmin. Antes explicarei Karmin pra vocês: são um casal, casado, muito amorzinho, que começou fazendo covers incríveis no YouTube e agora lançam músicas originais, igualmente incríveis. A ideia de Leo Rising é trazer uma música para cada signo, depois que os dois se encontraram com um astrólogo e este explicou todo o universo astrológico pra eles. Tanto que, Leo Rising (pelo que entendo) significa Leão Ascendendo - que, no caso, leão é meu ascendente. Feito pra mim! <3

Eu amo tanto esse álbum que já pensei em clipes para a maioria das músicas. Tipo, clipes inteiros mesmo, o roteiro está completo na minha cabeça e eu juro que se fosse capacitada, teria feito um "fan clip" pra algumas.
A minha favorita, de longe, é a No Suitcase. Mas também amo Easy Money, I Got You, Didn't Know You e Dance With You. É bem difícil escolher, todas elas são muito boas, tem uma batida diferentinha, uma coisinha gostosa mesmo. E, o mais legal pra mim, é conectar com os signos. Apesar da maioria falar sobre o mesmo assunto, você consegue perceber a qual signo ela é direcionada. E como eu sou "a louca dos signos", cês imaginam, né?

Outra coisa muito boa que não podia deixar de mencionar: os clipes! Em todos, os dois estão sentados, de frente pra câmera, se mexendo em câmera lenta. Eu achei incrível. Mas vejam por vocês mesmos:



Know It All

Eu já falei sobre Alessia Cara, aqui, e na época ela já tinha lançado o álbum mas não especifiquei nada sobre ele. Eu ouvi bastante Know It All em março, porque as vezes fico nostálgica mesmo e ouço tudo de novo, hehe.
O álbum foi lançado em 13 de novembro de 2015, pela Def Jam. Ele foi uma extensão do EP Four Pink Walls, e apesar das músicas serem as mesmas, as que foram adicionadas são tão boas quanto. A Alessia tem esse estilo R&B, meio pop, e de acordo com a Billboard, "Know-It-All é um carismático equilíbrio entre os sonhos e a realidade que faz com que sua autora se exiba da maneira mais impressionante."

O fato de Alessia ser uma quase adolescente reflete isso em sua música. Eu me sinto adolescente ouvindo, dá vontade de ter a vida que ela retrata, sabe? Não é o álbum mais profundo do mundo, as letras são tranquilas e é aquele tipo de álbum pra ouvir quando cê tá feliz, quando cê tá arrumando a casa e curtindo um dia legal com os amigos.
A Here foi a música de estréia, e ela é maravilhosa, seguida pelos singles Wild Things e Scars To Your Beautiful. Eu tenho duas favoritas, que são I'm Yours e Stone. Mas a Seventeen, a Four Pink Walls e a Overdose também são bem boas.




Dangerous Woman

Pra ser bem honesta com vocês, eu nunca gostei muito de Ariana Grande. Ainda não gosto, mas preciso dar os devidos créditos pra esse álbum. Dangerous Woman é cativante e, mesmo que você não curta, muita música dele vai ficar na sua cabeça e você vai se pegar cantando sem querer. Eu achei que ela cresceu muito musicalmente, mesmo que a voz dela sempre tenha sido incontestavelmente boa. Ele foi lançado dia 20 de maio do ano passado pela Republic Records e foi só sucesso. Comercialmente falando, ele foi um dos álbuns mais bem sucedidos de 2016.

Por coincidência, as melhores músicas também foram os singles. Dangerous Woman, Into You, Focus e Side to Side são muito legais. Elas tem um jeitinho dançante, sensual e, até mesmo, misterioso, que prende a nossa atenção. A Dangerous Woman é minha faixa favorita, sem dúvidas. Outras bem legais também são Greedy e Bad Decisions. Pra quem não curte a Ariana (como eu não curtia), vale a pena dar uma chance pra essas músicas, principalmente se você curte pop e R&B.



Lemonade

Gente, Beyonce!!! Eu tô sempre ouvindo os álbuns dela, então né, qualquer um que eu colocar aqui vai servir. Mas decidi falar sobre o último lançado, o Lemonade, que é uma obra de arte.
Nem tem muito o que dizer, porque é aquilo que vocês já sabem. Beyonce chegou, acredito eu, a um patamar sem volta. Literalmente, o sucesso profissional. As músicas desse álbum são tão marcantes que na primeira nota, cê já sabe. Acho que ela tem esse carisma todo que passa pras músicas, deixa uma marca dela no que ela faz.

Lemonade foi lançado dia 23 de abril de 2016, pelas gravadoras Parkwood e Columbia, com 12 faixas. Foi aclamadíssimo pela crítica, levando pontuações máximas e frases de efeito sobre o desempenho da cantora, do tipo "Genuinamente imperiosa" (Metacritic sobre Beyonce em Lemonade). Depois disso, eu nem preciso dizer mais nada, né? Só que eu acho esse álbum poderoso, marcante e muito bem definido. Um dos melhores da Bey. <3
As músicas boas são todas Formation, Sorry, Sandcastles e Daddy Lessons. Porém, recomendo que ouçam todas (se é que ces já não ouviram, pq né, é Beyonce!)


Ufa! Foi isso, gente. A demora valeu - ou não - mas tem explicação. Ta tudo uma loucura esse ano, mas a gente se esforça sempre pra não abandonar nosso cantinho!
Curtam as músicas. Mês que vem tem mais!

Beijos e até a próxima.
www.coisinhasaleatorias.blogspot.com.br

Tema Base por Butlariz . Edições feitas por Mariana Fialho. Tutoriais utilizados dos blogs ButLariz, Cherry Bomb, Elaine Gaspareto e Follow Your Dreams